O que levar para o Caminho de Santiago

Quer fazer o Caminho? Nós ajudamo-lo
A Pilgrim Travel SL vai utilizar os seus dados apenas para atender a sua solicitação. Os seus dados não vão ser partilhados. Para exercer os seus direitos consulte a política de privacidade

Montanhistas, alpinistas e aqueles que estão habituados a realizar actividades de vários dias ao ar livre longe do conforto da civilização, um ditado que vem como um anel para aqueles que planeiam andar no Caminho. Refere-se ao que levar para esses dias, onde o peso, o volume e o equipamento certo têm uma influência decisiva no sucesso: escolhe bem o que vais levar na tua mochila para o Caminho de Santiago e leva apenas o essencial, depois remove metade dela.

Peso e volume são os grandes problemas que os peregrinos carregam durante a longa viagem de um mês. Especialmente se acrescentares o terceiro elemento essencial na bagagem para este desafio: a sua eficácia. Não é bom carregar um mackintosh, por exemplo, que não te protege bem da chuva, porque é de má qualidade ou está partido; de que servem as botas duplas, que te isolam como se estivesses nos Himalaias, se aqui é apenas uma questão de caminhar por caminhos directos sem dificuldades técnicas. Porquê carregar meia dúzia de T-shirts se podes lavar as sujas no caminho... juntamente com a preparação física certa, escolher a bagagem certa é um dos pilares essenciais para chegar a Compostela.

O que enfrentar o Caminho de Santiago

1. Calçado

É o elemento mais importante da bagagem. A tua escolha deve ser rigorosa e precisa. Devemos procurar o tipo de calçado mais confortável, de acordo com as nossas circunstâncias e tendo em conta que vamos caminhar durante muitos dias, mas sobre terrenos que não sejam tecnicamente difíceis. São recomendados sapatos de caminhada ou, no máximo, botas baixas - aquelas que só sobem até ao tornozelo.

Botas altas proporcionam uma melhor protecção contra entorses, mas são muito mais desconfortáveis para o movimento de caminhar e mais pesadas, o que significa mais fadiga e uma maior probabilidade de lesões musculares à medida que os dias vão passando. Devido à sua maior rigidez e dureza dos materiais, são também mais propensos a irritações e bolhas, nunca melhor dito, o verdadeiro calcanhar de Aquiles dos peregrinos.

Não deve faltar uma sola com um perfil de malas bem marcado. Também é recomendado que seja feito com uma membrana tipo Goretex, o que o torna impermeável e respirável ao mesmo tempo. As botas não devem ser usadas pela primeira vez no Caminho. É melhor fazê-lo algumas semanas antes, quebrando-os durante os dias de treino antes da viagem. Isto é comum a todas as peças de roupa: meias e T-shirts especialmente, para evitar irritações, um inconveniente que pode parecer menor, mas que causou o abandono do Caminho por parte de alguns esperançosos Compostela.

 2. Roupas para os passeios

Tens de procurar conforto e eficácia, sem a componente estética. Para dizer isto, quando uma série de televisão sobre o Caminho de Santiago é transmitida com razoável sucesso, na qual se contempla o contrário, parecerá inadequada para aqueles que não têm muita experiência em caminhar. O estilo e as maneiras usadas pelos seus protagonistas têm mais a ver com o vestido dos jovens a caminho de uma rave do que com a realidade do Caminho. As roupas usadas pelos protagonistas, as suas mochilas inadequadas e a forma como as carregam, enganam os neófitos que as vêem. Tudo bem, a série não procura ser fiel à realidade, nem dar orientações sobre como fazer o Caminho, tão pouca atenção tem sido dada ao atrezzo pessoal dos actores. Isto não é uma crítica, é apenas para apontar algo que deve ser tido em conta para evitar erros na escolha do equipamento.

A T-shirt técnica de secagem rápida é a mais recomendada da grande variedade existente no mercado. Embora mais confortável ao toque, o algodão fica rapidamente encharcado com transpiração e leva muito tempo a secar, o que causa desconforto e pode fazer com que fiques frio. Isto contrasta com as fibras modernas, que afastam a transpiração e mantêm a pele seca.

As calças devem ser para caminhadas e ter características técnicas semelhantes às da T-shirt. Devem ter pernas destacáveis, para que possam ser usadas longas e curtas, dependendo das condições em cada momento, evitando assim a necessidade de usar duas calças. Um velo tipo casaco, com um fecho à frente, de peso intermédio, é uma boa opção. Evita ser demasiado apertado e não dificultar a mobilidade. Um capuz é opcional.

Um casaco exterior à prova de água e respirável completa a roupa de caminhada. Este tipo de terceira camada, juntamente com a cobertura à prova de água da mochila, evitará transportar um casaco de chuva, um elemento que acrescenta peso e volume à bagagem.

Apesar da sua importância, as meias são frequentemente negligenciadas. Um mau par de meias pode arruinar a tua aventura, mesmo que estejas a usar o melhor calçado. A irritação e as bolhas são quase sempre causadas por meias. Deves investir em meias técnicas concebidas para trekking, com diferentes tipos de tecido, reforços e outras características, tais como a capacidade anti-rugas para evitar estas lesões. As meias dos Peregrinos não devem ser muito grossas, pois o Verão em Espanha é bastante quente.

Um chapéu de sol é melhor que o chapéu clássico, pois para além da cabeça, a aba cobre a parte de trás do pescoço, algo que as tampas das viseiras não fazem. Devido ao seu peso e volume reduzidos, bem como à sua versatilidade - é usado para proteger o pescoço, mas também pode substituir uma touca em tempo frio e tornar-se uma camurça para reter o suor na testa - o polidor ou o colar cervical é altamente recomendado. As pessoas que têm demasiado frio podem incluir luvas leves e um chapéu leve, embora não as possam usar.

A roupa sobressalente, além de algumas trocas de roupa, requer um máximo de duas T-shirts, dois pares de meias e um fato de banho. Não precisas de trazer mais, pois a roupa suja pode ser lavada ao longo do caminho. Um par de chinelos havaianos evita usar dois pares de sapatos: um par para caminhar, um par para descansar os pés depois do teu passeio diário e um terceiro par para tomar banho. Leve, leve e não muito volumosa, este tipo de sandália pode ser usada para tomar banho e para descansar no final de cada dia.

Pode não parecer muita roupa, mas deves ter em conta que ao longo do Caminho, podes comprar o que precisares. Muito melhor do que carregar roupa de reserva desde o início da rota que não pode ser usada.

3. A mochila para o Caminho de Santiago

Nem grandes nem pequenos, com a capacidade certa. É comum ver peregrinos com mochilas volumosas, que apenas os encorajam a enchê-los com coisas que não são essenciais. Um modelo de tamanho médio, entre 45 e 60 litros, é suficiente. Há um número infinito de modelos no mercado. As mochilas ergonómicas são recomendadas, uma vez que permitem a ventilação. O sistema de alças deve ser largo e macio, especialmente nas alças dos ombros. Deve ter um cinto central e uma correia no peito para evitar que a mochila se mova ou se desloque demasiado para trás durante o passeio.

O tecido exterior deve ser resistente à fricção e ao rasgão e, claro, à prova de água. É uma boa ideia levar uma capa à prova de água para cobrir a mochila em dias de chuva, para garantir que a água não entra pela boca da mochila ou por qualquer abertura mal fechada. Uma boca larga ou uma segunda abertura no fundo é outra característica interessante. A tampa superior tem de ter um bolso, dentro do qual levas as coisas que precisas durante a caminhada, tais como óculos de sol, protector solar, documentação, etc.

 Ao fazer a mochila, a distribuição das coisas dentro dela é muito importante. O saco deve ser colocado em baixo, os itens mais pesados no meio, a roupa de reserva na zona das costas e o resto em cima, como comida de ataque, boné, etc. Isto permite que o peso seja equilibrado. Isto permite equilibrar o peso em movimento e facilita o acesso rápido aos itens mais necessários sem teres de desfazer a mala.

 4. O saco e o tapete

Como já dissemos, dormir num albergue é a norma. Até ao surto da pandemia, isto tornou possível dispensar os dois objectos mais volumosos e pesados da bagagem do peregrino: saco e colchão. Os regulamentos anti-vida levaram à remoção de lençóis e cobertores do alojamento no Caminho, e os peregrinos são agora obrigados a levar a sua própria mala. É também aconselhável levar um saco de lençol, que protege o saco principal de odores e manchas e, em locais muito quentes, é suficiente para dormir.

Um tapete de dormir é dispensável se optares por dormir em albergues. Caso contrário, as mais manejáveis são feitas de PVC ou material similar, que são transportadas enroladas na parte de fora da mochila. Os modelos auto-infláveis são mais confortáveis do que os lençóis de enrolar, mas também mais pesados, o mecanismo de inflação pode partir-se e, à medida que os dias passam, torna-se cada vez mais difícil tirar todo o ar deles, o que acrescenta peso e volume à bagagem.

5. Sanitários e kit de primeiros socorros

Escolher produtos para o aliciamento pessoal é frequentemente uma dor de cabeça para o romero. A lista de produtos é tão longa que o saco de toucador acaba por ser a parte mais pesada do kit. Tudo depende de como cada pessoa é, mas a nossa experiência pessoal ao longo de várias rotas de peregrinos a Santiago de Compostela faz-nos recomendar ser tão austeros como com o resto da bagagem. Um sabonete multiusos, como o conhecido Lagarto, é suficiente para te manter limpo, incluindo o teu cabelo, além de ser útil para lavar trocas de roupa e t-shirts. Uma escolha espartana, sem dúvida, mas que as nossas costas nos agradecerão à medida que formos avançando para Compostela.

 Aqueles que não conseguem fazer tal renúncia devem recorrer aos frascos mínimos usados para transportar gel e champô nas cabines dos aviões, sem esquecer outro com detergente para a roupa suja. Uma leve toalha de mão em microfibra, não uma toalha de banho, uma escova de dentes e uma pasta de dentes numa pequena garrafa completam o kit de casa de banho.

 Em relação ao kit de primeiros socorros, lembra-te que fazer o Caminho não é como ir numa expedição aos Himalaias ou às florestas tropicais; que no final de cada etapa, existe uma cidade e, nela, uma farmácia onde podes comprar tudo o que precisas. É aconselhável levar um stock mínimo de itens nas tuas costas: analgésico (aspirina ou paracetamol); kit para bolhas e arranhões incluindo Compeed, gessos, agulha de costura, linha e agulha; desinfectante anti-séptico para arranhões, feridas e bolhas; fita adesiva, gaze e ligadura; anti-diarreico e laxante e anti-histamínico, tópico e oral, contra as picadas de pequenos invertebrados, tais como mosquitos e aranhas.

6. Outras coisas para não esquecer

 Agora que a bengala ancestral foi esquecida, as bengalas são as companheiras habituais da grande maioria daqueles que caminham para Santiago. Para além do seu uso como complemento e suporte para caminhar, nos últimos anos foram acrescentados ao seu papel como símbolo inconfundível do peregrino Compostela. Pela sua leveza e conforto, os melhores são os modelos de trekking com um poste telescópico, que lhes permite serem dobrados quando não estão a ser usados.

Na secção de documentos, juntamente com o bilhete de identidade, cartão de saúde e carta de condução, a covid tornou o cartão de crédito obrigatório, embora não evite transportar uma pequena quantidade de dinheiro, pois em algumas zonas rurais é a única forma de pagamento. A Compostela, uma credencial de peregrino que deve ser carimbada em cada albergue e no fim do palco, também é necessária em alguns albergues para passar a noite.

Uma caneta pessoal também se tornou obrigatória devido à pandemia. Um pequeno caderno de viagem é também uma obrigação. Um telemóvel com bateria de reserva e carregador completam a lista essencial. Uma faca multiusos, de preferência com tesoura (se não, traze-os separadamente), um par de gravatas de cabo, um par de cavilhas de roupa e dois metros de fio para pendurar roupa, papel higiénico, pensos higiénicos e guardanapos higiénicos, e desodorizante são também itens essenciais. A água é algo a ter em mente. Embora haja muitas fontes ao longo do percurso, deves levar sempre uma garrafa de água na tua bagagem. Um modelo de dois litros é uma boa escolha.

Conheça as diferentes rotas do Caminho

Nós ajudamo-lo a organizar o Caminho de Santiago

Ajudamo-lo a programar a sua viagem pelo Caminho de Santiago para que tudo seja perfeito! Contacte-nos grátis para reservar a sua viagem, voos, hotéis ou simplesmente para verificar os preços do Caminho de Santiago

Quanto custa fazer o caminho de santiago de compostela

Isto depende do número de dias que dura o percurso do Caminho de Santiago. É melhor verificar connosco a sua disponibilidade e dias para saber o preço.


Quem somos?

Somos uma agência que organiza o Caminho de Santiago. 

Organizamos uma viagem à sua medida pelo Caminho. Viaje com tudo confirmado e em segurança.

Oferecemos-lhe tudo o que vai precisar para que o percurso seja perfeito para si.

Gerimos a reserva de voos
Damos-lhe dicas sobre etapas e itinerários 
Fazemos as suas reservas de alojamento
Assistência 24 horas
Transportamos a sua mochila a cada dia